quinta-feira, 16 de abril de 2009

poesia do livro Meu outro Lado de Carlos de Souza

Única dor
Autor:Carlos de Souza


Existe sempre uma dor entrenhada
Uma dor cretina e vulgar:
É a dor da incompreensão
É a dor de não aceitar...
Essa dor de ninguém vê no rosto
e por dentro vai se corroendo
Sempre,sempre aumenta o desgosto;
Dessa dor terminar morrendo.
Mas,se a vida é um desencontro?
Se vai não se leva nem se deixa saudade ...
é nessa ida que um dia podemos ser feliz;
Por onde andar pela eternidade.
O que escolhemos é inaceitável,
Somos covardes,somos tudo enfim
Somos loucos e almadiçoados;
Somos pedaços que se desfaz ao cupim
Somos tudo por causa da dor,
Que se sente e se leva consigo ;
Essa dor que diminue nossa vida;
essa dor,nosso eterno castigo...
se essa dor nos transmite alegria;
Quem Sabe morremos com a alma sã.
Deixamos um adeus aos nossos seguidores,
Deixo um beijo aos meus e aos seus!
aí nos separamos,se vamos para sempre,
É para sempre o nosso adeus...





Nenhum comentário:

Postar um comentário